8 de set de 2014

1.9, muito bem, obrigada

Com muitíssimo orgulho, saudade e vergonha na cara, olha quem voltou!
É até estranho voltar pra cá depois de tanto tempo, mas sabem como é né.. Quando a gente realmente gosta de alguma coisa, não importa o tempo que a gente passe longe, ela nunca sai de dentro de nós. E pra mim, uma dessas coisas, é a arte de bloguear, de encher as pessoas de coisas às vezes pessoais, talvez pessoais demais, e outras desse mundão afora.
Um dos meus posts (pessoais, eu diria) mais lido aqui no blog foi o de quando eu completei 18 anos. E mais um ano se passou, 19 aninhos, e tanta coisa mudou.. É engraçado como as coisas acontecem.
Tô sem postar nada por aqui desde dezembro do ano passado. É tempo demais, uma vidinha nascendo! Desde então já voltei a trabalhar, já saí do trabalho, já fui trabalhar em outro lugar, já parei de trabalhar de novo, comecei a faculdade, estou no segundo semestre da minha tão sonhada graduação em moda, estou com 19 anos, muito mais tatuada do que eu imaginava que estaria hahahahah e embora algumas circunstâncias não favoreçam (afinal, a vida não é perfeita amiguinhos), muito, muito, muito contente.
Acho que sempre comentei por aqui que, se as coisas têm que dar certo, uma hora ou outra, elas darão. Não adianta ter muita pressa. Aquela história de que Deus escreve certo por linhas tortas é bem verídica, a menos que você não seja tão religioso assim. Mas acredite que o que tem que ser, será.
Meu principal foco aqui é hoje é como um ano muda a nossa vida. Quando eu fiz aquele post de 18 anos, contando a minha alegria em fazer minhas primeiras tatuagens, e o quanto eu estava feliz comigo mesma em relação ao amor, não imaginava em como minha vida estaria dali a um ano.
Pois bem. Um ano depois, cá estamos.

Digievolução ahuahaua: Dos 14 aos 19 anos.

Sobre os dois fatores que eu me queixei quando fiz 18 anos:
1- Tatuagens: Eu sonhava com o momento em que começaria a me tatuar. Nem tinha feito a primeira e já pensava naquela décima quinta... Era uma coisa que eu queria muito. E que aos poucos, iria realizando. Um ano depois e QUATRO tatuagens depois... aahhahahah Juro que não esperava fazer tudo isso nesse meio tempo. A maioria pequenas, mas tenho a sorte de estar realizando esse capricho meu. Paixão, sabe? E quando você começa, ah meu amigo.. vicia mesmo! hahahahaua
2- Amor: Eu finalmente estava contente comigo mesmo estando solteira. 18 anos poderia não ser uma idade estranha pra se estar solteira, mas quando praticamente todos os seus amigos namoram acaba acontecendo da zuera te pegar né? Nada demais, mas chega uma hora que a gente não aguenta mais e quer alguém do nosso lado também poxa, é pedir demais? Mas eu já tinha me conformado que quando chegasse a hora, iria aparecer a pessoa. E apareceu. Ou melhor, só se tornou algo realmente sério, porque ter aparecido e já conhecer, a gente já se conhecia há muito tempo, pra ser exata durante todo esse período dessa minha digievolução aí hahahahha
Engraçado, né? Acho que aquela história de quando você para de procurar, a coisa te acha realmente funciona. E o mais engraçado, é que essa coisa que você tanto procurava, tava ali, com você, por perto, só esperando o momento certo de florescer.
E o mais legal é que não teve esforço, foi natural.. E se fosse antes, não teria dado certo.
É muito importante dizer que a pressa é inimiga da perfeição. Sobre tudo na vida, absolutamente tudo. Paciência é uma coisa fundamental, que se a gente aprende a ter, tem uma diferença enorme na nossa vida! ;)
Por isso, tenho 19 anos, vou muito bem, obrigada. Paciência me proporcionou isso, e muitas outras coisas também. E digo de novo: coisas ruins acontecerão pra que coisas boas venham de encontro ao nosso caminho...
"Acima das nuvens há sempre um céu azul."

Tenha paciência. Se ame muito. Seja feliz.
Um beijo <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário