23 de jul de 2013

O MEDO DO AMANHÃ

Há poucos dias percebi que o tempo tá passando rápido demais, talvez mais rápido do que eu gostaria, não sei, e que em poucos dias faço 18 anos.
Sei que isso pode não trazer muita diferença, mas me deu um frio na barriga.
Parei pra pensar que daqui pra frente, preciso tomar decisões. Que quero e preciso ser alguém na vida. Que quero realizar meus sonhos, correr atrás do que quero, e realizar coisas maravilhosas.
E pensando nisso, me perguntei se estou fazendo o suficiente pra conseguir alcançar todas essas coisas - e muito mais.
É aquele medo de crescer, de ter mais responsabilidades na mão, e de querer fazer tudo acontecer.
É o chamado medo do futuro, medo do amanhã.. Medo de dar tudo errado.
Deixar as coisas "rolarem" talvez não seja o suficiente. E tenho medo de fazer tudo, e mesmo assim, não alcançar tudo o que desejo.
Mas aí por um momento, você lembra de tudo o que já fez, de tudo o que já conseguiu:
Passar em 10º lugar num vestibulinho (pode não ser muito pra você, mas eu não acreditei que fosse eu, e fiquei dizendo e repetindo que aquela Isabella era apenas outra garota com o mesmo nome que o meu), conseguir um emprego quando você só podia entrar depois das 20 horas da noite em pleno sábado (quem seria o louco de contratar uma menina que não podia trabalhar em pleno sábado?!), conseguir finalizar seu curso de desenho com uma média de 85,5 (o que pra mim foi mais do que satisfatório), visitar a sede de uma marca de roupa conhecida, e conseguir comprar suas próprias coisas com o seu próprio dinheiro.
Então percebi que sou capaz.
Me lembrei que quando eu quis, quando eu quis de verdade, e me esforcei pra isso, eu consegui. E o medo sempre esteve lá, presente. Só que a gente se esquece dele depois que a recompensa vem.
E se tudo ocorrer bem, vai ser assim.
Primeiro o medo, e depois a felicidade de ter conseguido o que queria.
Então, que venha o medo, porque sei que depois vou ser bem recompensada por ter sentido isso.
Um beijo.
Isa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário